Dia a dia do RH
January 2022

O metaverso pode estar no seu próximo processo seletivo: Uma análise do case MGM Resorts

E se você pudesse testar uma vaga de trabalho antes de assumir este papel de verdade? É exatamente esta a proposta da MGM Resorts, uma empresa que controla hotéis e cassinos em diversas cidades do mundo. A companhia está dando aos candidatos a vagas de trabalho a oportunidade de experimentar funções usando realidade virtual antes de decidir se aceitam ou não aquela vaga. 

Na prática, os candidatos usam um headset VR fornecido pela própria empresa para que possam testar se o trabalho que vão cumprir no dia a dia realmente é aquilo que imaginavam. A ideia é simples: reduzir o desgaste e entender se os colaboradores se encaixam na vaga. O propósito da companhia é reduzir a rotatividade de funcionários, que muitas vezes só percebem que não são aptos ou não gostam das funções depois que são contratados. 

A diretora de RH da MGM Resorts, Laura Lee, disse, em entrevista ao site Business Insider, que é muito difícil explicar apenas verbalmente ou mostrar vídeos para apresentar as posições abertas. Portanto, a experiência de vivenciarem isto numa espécie de metaverso pode ser benéfica para ambas as partes. Ela justifica que a estratégia é uma maneira de combater a escassez de mão de obra e o movimento da Grande Renúncia que os EUA e boa parte do mundo estão enfrentando. 

O estopim para que o projeto saísse do papel veio quando a equipe de RH passou a escutar relatos dos funcionários afirmando que os clientes se tornaram mais rudes durante a pandemia. Desta forma, a tecnologia de VR serve, também, para que a MGM Resorts prepare seus colaboradores para eventuais “interações difíceis” com os hóspedes. “Às vezes, os candidatos aceitam empregos sem perceber o quão difícil eles podem ser”, afirmou Laura. 

Por enquanto, o VR é utilizado apenas para funções de atendimento ao público, como operar as máquinas de cassino e receber hóspedes em hotéis. O recurso não é usado em funções baseadas no escritório. O projeto foi desenvolvido pela empresa Strivr, que também tem parceria com companhias como o Walmart, o Bank of America, Verizon e FedEx. Portanto, ainda que seja cedo para calcular o impacto da tecnologia no mercado de trabalho a nível mundial, já podemos imaginar que vem muita coisa por aí.

Continue lendo