Gestão de custos
January 2022

O que é gestão de saúde populacional?

Conceito

De acordo com o Christensen Institute (organização líder no estudo de disrupções em saúde do professor de Harvard, Clayton Christensen), a gestão de saúde populacional (GSP) é:

"O meio pelo qual provedores usam dados para avaliar a saúde da população com o objetivo de desenvolver intervenções para melhora-la, de maneira econômica, ao longo do tempo"

Para a ASAP (Aliança para Saúde Populacional), a gestão de saúde populacional inclui:

  • Estratificação de riscos de saúde da população
  • Coleta sistematizada de dados
  • Integração dos serviços prestados pelos fornecedores da cadeia
  • Iniciativas pró ativas e preventivas
  • Gestão de crônicos e outros casos isolados

A figura abaixo ilustra bem o que estamos falando:

Infográfico - ASAP

Qual é a relação entre gestão de saúde populacional e atenção primária?

De acordo com o Ministério da Saúde, a Atenção Primária à Saúde (APS) é o primeiro nível de atenção em saúde e engloba:

  • Promoção e proteção da saúde
  • Prevenção de agravos
  • Diagnóstico
  • Tratamento
  • Reabilitação
  • Redução de danos
  • Manutenção da saúde

Basicamente, os profissionais de atenção primária devem ser responsáveis por coordenar todo o cuidado envolvido na gestão de saúde populacional, resolvendo grande parte das questões de saúde dos beneficiários e deixando o uso do sistema mais eficiente.

O impacto da gestão populacional nos custos de saúde

Cerca de 40% da população brasileira adulta vive com pelo menos uma doença crônica e seus tratamentos representam juntos 60% dos gastos totais de saúde do país. A gestão de saúde populacional pode contribuir justamente para a redução desses custos.

Um estudo do Instituto Coalização Saúde estima que, com a redução dos fatores de risco que causam grande parte das doenças crônicas (atividades físicas, obesidade, tabagismo e consumo de álcool), junto do manejo mais eficiente dos casos, é possível economizar até 35% desses gastos.

O benefício econômico para as empresas que oferecem plano de saúde aos seus colaboradores também pode ser relevante. Considerando uma empresa com uma sinistralidade de 80% e uma redução de 30% dos gastos dos crônicos, a sinistralidade atingiria 66%. O reajuste anual dessa empresa por sinistro então deixaria de existir.

Como implantar a gestão de saúde na empresa

O primeiro passo para começar a gestão de saúde populacional é a coleta de dados. Algumas empresas utilizam apenas as informações de sinistro disponibilizadas pela operadora do plano de saúde e outras empresas coletam também dados de histórico de saúde, hábitos, saúde mental e até aspectos sociais dos colaboradores.

Após a coleta de dados, deve ser feita uma análise de risco, classificando a população entre aqueles que precisam de acompanhamento mais próximo e aqueles que só precisam de prevenção.

A empresa então segue para o planejamento da gestão de saúde, de acordo com o perfil da sua população. Esse planejamento deve incluir:

  • Modelo de atuação: palestras coletivas, acompanhamento de grupos específicos e/ou atuação personalizada sobre toda a população, além do fornecedor que será responsável por esses serviços
  • Métricas de sucesso: percepção de bem-estar entre a equipe, indicadores clínicos, sinistro, entre outras
  • Cronograma: frequência em que as métricas serão acompanhadas e a partir de que momento os resultados são esperados

Com o plano definido, começa a ação. É importante ter uma boa estratégia de comunicação com a equipe, não só para garantir que todos estejam cientes da nova prática da empresa, mas também para incentivar o engajamento. O colaborador também precisa saber que todas as informações coletadas são confidenciais e que só serão utilizadas pela equipe de saúde.

A partir da comunicação feita pelo RH e/ou gestores da empresa, a equipe de saúde (da própria empresa ou terceirizada) passa a fazer o acompanhamento de crônicos e as iniciativas de promoção e prevenção. O trabalho é recorrente e deve ser acompanhado com frequência por meio das métricas de sucesso definidas no planejamento. E claro, ajustes podem (e devem) ser feitos ao longo do caminho visando a melhoria contínua de resultados.

O processo não é simples e depende do estágio de cada empresa, mas ele sempre pode ir acontecendo aos poucos. Começar com palestras pontuais e conteúdos de bem-estar já são pequenos passos para se ter um ambiente mais consciente!

Fontes

Christensen Institute - What is population health management

APS - Saude.gov

ICOS - Relatório Saúde Brasil

Continue lendo